Sem perspectiva de novas encomendas, o Estaleiro Atlântico Sul (EAS) vai recorrer a instâncias políticas para tentar sobreviver. A direção do empreendimento vai participar de sessões da Câmara dos Deputados, em Brasília, para mostrar que, sem o apoio da Petrobras, pode fechar as portas em meados do próximo ano, deixando mais de 3,6 mil pessoas desempregadas em Pernambuco. E as reuniões já começam na próxima semana, devido à possibilidade de contratação de novos navios para exploração do Pré-Sal.