O momento de analisar as entregas de navios

  • 17/12/2013

Ao final de novembro de 2013 as informações coletadas indicam que foram entregues 101 milhões de TPB (toneladas de porte bruto – medida da capacidade de carga de um navio) para ampliação da frota mundial de navios. O volume das entregas vem se reduzindo, desde o pico do atual ciclo da construção naval mundial, entre 2010 e 201.

O volume mensal de entregas, que chegou a 13 milhões de TPB por mês, em 2013 oscila em oito milhões de TPB por mês. Até onde continua a queda do volume de entregas é a questão, já que de fato representa a redução da carteira de encomendas.

Com o final de 2013 chega o momento de realizar reflexões e balanço e examinar o desempenho das entregas do passado e do presente para entender o futuro.

O gráfico demonstra que na segunda metade de 2013 a entrega chegou a um patamar médio de sete milhões de TPB por mês. Em 2010, a China se tornou o país líder em volume de entregas, mas, nos anos seguintes apresentou a maior índice de redução de entregas, chegando a reduzir suas entregas em 43% na média mensal no segundo semestre de 2013. O principal impacto foi a redução do volume de encomendas de navios graneleiros.

A Coréia do Sul apresentou redução de 11% em relação da 2012, no primeiro semestre a média mensal ficou em 3,6 milhões de TPB. Esse melhor desempenho se deve a maior variedade de tipos de construção naval dos estaleiros Sul coreanos.

O Japão manteve um volume de entregas consistente, com uma carteira de encomendas firme, sem apresentar picos de encomendas como os demais.

Tudo indica que 2013 apresentará um volume de entregas de 108 milhões de TPB, com uma redução de 29% em relação a 2012. A expectativa é que a China e Coréia do Sul continuem a registrar queda no volume de entregas. O ano de 2014 chega indicando a necessidade de um bom acompanhamento sobre o desempenho da carteira de encomendas.

Gráfico abaixo

noticia-512-fig1

 

Fonte: Samantha Barnwell – Clarksons
17/12/2013|Seção: Notícias da Semana|Tags: , |