AMRJ participa de Painel sobre Navios Patrulha no Clube Naval

  • 08/11/2017

O Diretor do Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro (AMRJ), Contra-Almirante, engenheiro naval, Liberal Enio Zanelatto, foi um dos palestrantes convidados para o Painel “Construção de Navios Patrulha para a Marinha do Brasil”, promovido pelo Clube Naval no dia 26 de outubro visando ao incentivo à indústria de construção naval brasileira.

O Contra-Almirante Liberal ressaltou o histórico de construção de Navios Patrulha no AMRJ e apresentou as características do projeto do Navio Patrulha de 500 toneladas (NPa 500BR), realizando uma comparação com a Classe “Macaé”.

Para o Diretor do AMRJ, “a construção do NPa 500BR no Arsenal significaria a retomada da construção militar de navios de superfície, com a manutenção e atualização do conhecimento das equipes técnicas, de planejamento e gerência de projetos”.

Além da palestra do Diretor do AMRJ, o evento contou ainda com exposições de representantes do Sindicato dos Estaleiros de Construção Naval Brasileiros e Offshore (SINAVAL) e da Empresa Gerencial de Projetos Navais (EMGEPRON), seguidas de debates.

Navio-Patrulha 500-BR (NPa 500-BR)

O Navio-Patrulha 500-BR (NPa 500-BR) foi concebido para atuar como meio versátil, eficaz e adequado para a vigilância e proteção da Zona Econômica Exclusiva (ZEE). Com deslocamento aproximado de 500 toneladas, comprimento de cerca de 57 metros e velocidade máxima contínua de 20 nós, o  NPa 500-BR pode ser empregado na defesa de áreas marítimas costeiras, vigilância de portos, missões de busca e salvamento, proteção de plataformas petrolíferas e repressão de delitos ambientais.

O NPa 500-BR conta com modernos sistemas navais, como o Sistema de Controle Tático – SICONTA, o Sistema de Controle de Avarias – SCAV, e o Sistema de Controle e Monitoração da Propulsão – SCMP. O Navio é dotado de canhão de 40 mm, metralhadoras de 20 mm e pode contar com lançador de mísseis superfície-ar.

Missões

• Vigilância da Zona Econômica Exclusiva (ZEE)
• Apoio a operações militares
• Busca e Salvamento
• Prevenção da poluição marítima
• Ação contra o tráfico de drogas, contrabando e pesca ilegal

Características

• Comprimento: 57,20 m
• Boca: 8,76 m
• Calado máximo: 2,58 m
• Deslocamento carregado: 592 t
• Velocidade máxima mantida: 20 nós
• Raio de ação a 13 nós: 2.800 MN
• Propulsão: 2 motores diesel CODAD
• Tripulação: até 43 militares
• Autonomia: 20 dias

Sistemas de Combate

• Canhão 40 mm L/70
• Duas metralhadoras manuais de até 20mm
• Lançador MSA (opcional)
• Sistema óptico-eléctrico
• Sistema de Controle Tático – SICONTA
• Radar de busca de superfície
• Radar de navegação
• Sistema de Guerra Eletrônica – MAGE (opcional)
• Dispositivo acústico de defesa (opcional)

Fonte: Marinha do Brasil

 

08/11/2017|Seção: Notícias da Semana|Tags: , |