Estaleiro indiano GSL mira corvetas Tamandaré e projetos de Marinhas na América do Sul

  • 03/05/2018

O estaleiro indiano Goa Shipyard Ltd. (GSL), que atualmente participa da licitação para construção de corvetas classe Tamandaré da Marinha do Brasil, também tem planos de estabelecer parceria com estaleiros nacionais para atendimento às necessidades das Marinhas de outros países da América Latina. O GSL está em negociações finais com uma multinacional que irá auxiliá-lo a formular proposta comercial que atenda os requerimentos atuais e futuros demandados pela Marinha brasileira.

O presidente do estaleiro, almirante Shekhar Mittal, disse que existem grandes oportunidades para os dois países atuarem conjuntamente, tanto no mercado brasileiro, como nos mercados sul-americano e indiano. “A relação que o GSL pretende com o Brasil é de longo prazo e apenas se inicia com o contrato das corvetas para a Marinha do Brasil”, afirmou durante evento “Brasil-Índia um diálogo de Indústrias Navais”, na tarde desta quarta-feira (2), na sede do Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore (Sinaval), no Rio de Janeiro.

O Goa Shipyard não pretende operar em um estaleiro próprio no país. A estratégia da empresa é trabalhar em parceria com estaleiros brasileiros. “Produtos e serviços de alto valor agregado virão da Índia pra o Brasil e também daqui para lá,” disse Mittal. Com 60 anos de história, o Goa Shipyard pertence ao governo da Índia e opera sob o controle administrativo do seu Ministério da Defesa. No Brasil, o GSL participa do processo de seleção internacional que deverá auxiliar a indústria naval brasileira na construção de quatro novas corvetas da classe Tamandaré.

O GSL já construiu mais de 200 navios de superfície para a Indian Navy, guarda costeira, clientes privados e governos estrangeiros. Entre eles estão quatro unidades do Naval Offshore Vessel (NOPV) para a Marinha da Índia e outros dois desta classe para a marinha do vizinho Sri Lanka. Atualmente, a GSL está com negociações em andamento em outros países.

O estaleiro também possui experiência com a integração de sistemas de armas. Duas fragatas de 4000 toneladas da classe Teg, equipadas com o sistema de mísseis Brahmos, foram recentemente contratadas para a Marinha da Índia ao estaleiro GSL. Existe expectativa de que o estaleiro de Goa venha a construir doze navios de contramedidas de minas para a Indian Navy. O GSL se diz preparado para atender aos requisitos da Marinha e destaca em seu portfólio a construção de navios militares alguns, alguns com deslocamento superior a 2500t.

Fonte: Portos e Navios – Danilo Oliveira
03/05/2018|Seção: Destaque Superior 300px, Notícias da Semana|Tags: , , |