O FPSO Cidade do Rio de Janeiro MV14 está localizado na área 1-RJS-409/4-RJS-415 do campo Espadarte Sul, a aproximadamente 100 quilômetros da costa de Campos - Modec/Divulgação

Petrobras suspende por 13 meses as participações da Modec em suas licitações

  • 03/04/2021

Uma notícia de última hora que promete mexer com o mercado. A Petrobras decidiu suspender por 13 meses a participação da MODEC de suas próximas licitações. A estatal brasileira apontou baixa performance nas operações de três FPSOs construídos pela armadora japonesa: Cidade do Rio de Janeiro – que até problema de rachaduras teve -, Cidade de Santos e Cidade de Niterói. Para lembrar, o FPSO Rio de Janeiro teve problemas desde o início. Em 2019, ele foi evacuado, no campo de Espadarte, na Bacia de Campos. Foi um desembarque de emergência de 107 profissionais que estavam embarcados. Na época, a Petrobras confirmou que uma trinca no casco da unidade levou ao vazamento de 1,2 m³ de óleo residual (1,2 mil litros).

A suspensão da Modec das concorrências da Petrobras entrou em vigor ontem (31) e não terá impactos nos atuais contratos entre as duas empresas. Atualmente, a companhia japonesa está construindo quatro navios-plataformas para a petroleira: Anita Garibaldi, Almirante Barroso, Guanabara e Carioca. Hoje (1º) mais cedo, a Modec emitiu o seguinte comunicado sobre o assunto:

“Tóquio, 1 de abril de 2021 – MODEC, Inc. (“MODEC”) recebeu uma notificação da Petróleo Brasileiro S.A. (“Petrobras”) que sua elegibilidade para participar de nova licitação da Petrobras foi suspensa por 13 meses a partir de 31 de março de 2021. De acordo com a notificação, a principal base para essa sanção administrativa são os prejuízos à Petrobras, presumivelmente causado pelo desempenho de três (3) embarcações de Armazenamento e Descarregamento de Produção Flutuante (FPSO) sob serviços de fretamento que a MODEC forneceu no passado e / ou está fornecendo atualmente à Petrobras.

Esses FPSOs são o FPSO Cidade do Rio de Janeiro MV14, cujo contrato de afretamento expirou em 2019, e dois (2) FPSOs atualmente afretados à Petrobras, a saber, o FPSO Cidade de Niterói MV18 e o FPSO Cidade de Santos MV20, de acordo com a notificação. Não há expectativa de novos desenvolvimentos ou implicações, incluindo nas finanças do MODEC, uma vez que esta sanção administrativa não impacta a execução dos atuais contratos em vigor entre MODEC e Petrobras. A MODEC mantém o compromisso de aprimorar suas práticas, a fim de eliminar eventuais problemas em suas atividades ao abrigo dos contratos em vigor.

A MODEC segue enxergando o Brasil como seu principal e mais promissor mercado, e reafirma seu compromisso com o petróleo e o setor de gás, com a excelência que sempre esteve ligada ao seu nome ao longo dos mais de 15 anos no Brasil, com seus funcionários, clientes e fornecedores”.

Fonte: Petronotícias
03/04/2021|Seção: Destaque Superior 150px|Tags: |