Plano estratégico da Petrobras prevê US$ 84,1 bilhões em investimentos nos próximos cinco anos

  • 06/12/2018

O Conselho de Administração da Petrobras aprovou, em reunião realizada nesta terça-feira (4), o Planejamento Estratégico com visão até 2040 e o Plano de Negócios e Gestão para o período de 2019 a 2023. Nos próximos cinco anos, a companhia investirá US$ 84,1 bilhões em suas atividades produtivas, cerca de US$ 10 bilhões a mais do que o previsto em seu último plano de negócios. Em seu planejamento, a companhia mantém as métricas de topo de melhoria da segurança da força de trabalho e operacional e de redução da dívida, e acrescenta uma nova: a de rentabilidade, que estabelece um indicador de retorno sobre o capital empregado na companhia acima de 11% em 2020.

Confira o planejamento da Petrobras para os próximos cinco anos (PNG-2019-2023)

Com o Plano de Negócios e Gestão, a Petrobras define seus objetivos de negócios para os próximos cinco anos. “A nova métrica é criada após a superação dos maiores problemas financeiros da companhia, que recupera agora o poder de escolha. Nesse cenário, garantir a disciplina de capital torna-se fundamental para a sustentabilidade do futuro da companhia”, disse o presidente da Petrobras, Ivan Monteiro. “A Petrobras trilhou uma caminhada sólida nos últimos anos, fez uma virada histórica e entregas que mudaram profundamente a empresa. Os indicadores de segurança e dívida melhoraram significativamente, mas os desafios não terminaram. Agora, com as finanças mais equilibradas, a companhia buscará um caminho de rentabilidade sustentável, atenta às mudanças à sua volta”, complementou ele.

O novo plano tem três motores centrais de geração de valor para a empresa: um primeiro motor, nomeado pela companhia de força motriz, que é o elemento central da competitividade da Petrobras, no qual estão os grandes ativos de geração de caixa das áreas de Exploração e Produção (E&P) e Refino, Transporte e Comercialização (RTC). Para continuar evoluindo no mercado de energia, será necessário expandir e integrar mais as demais competências da companhia e, por isso, a Petrobras buscará oportunidades de investimento na cadeia integrada de gás, energia e petroquímica, motor batizado de força para evoluir. A companhia também entende que é necessário perpetuar sua equação de crescimento, com investimentos em energias renováveis, que representam nosso movimento para o futuro.

No gráfico abaixo, estão os investimentos da companhia divididos por cada motor:

A companhia continuará seus esforços permanentes de otimização de custos e simplificação de processos, reforçando seu compromisso com a rentabilidade, sem necessidade de novas captações líquidas e com uma geração de fluxo de caixa livre robusta no período de 2019 a 2023.

Principais projetos

Na área de E&P, o crescimento da produção de óleo em 2019 será de 10% no Brasil e de 7% na produção total, em virtude da entrada em operação de 5 novos sistemas em 2018 e mais 3 em 2019. Ao longo do Plano, está prevista a entrada em operação de 13 novos sistemas. Para o período entre 2020 e 2023, a produção total de óleo e gás natural terá um crescimento médio de 5% ao ano.

Na área de RTC, a companhia irá se reposicionar por meio de parcerias e desinvestimentos, com o objetivo de compartilhar os riscos do negócio e dinamizar o setor. No segmento de gás natural, está prevista a realização de investimentos em unidades de tratamento e processamento em Sergipe, Rio de Janeiro e São Paulo. Esses empreendimentos serão cruciais para dar suporte ao escoamento da produção de gás.  Na área de energias renováveis, a companhia continuará buscando parcerias em negócios de energia elétrica renovável, em especial solar e eólica, e investirá em BioQAV e green diesel.

R$ 600 bilhões em tributos: retorno estimado para a sociedade

No horizonte do PNG 2019-2023, a companhia contribuirá com aproximadamente

R$ 600 bilhões em tributos federais, estaduais e municipais. Até 2023, serão investidos cerca de R$ 13 bilhões em pesquisa e desenvolvimento e cerca de R$ 6 bilhões aplicados em projetos sociais e ambientais em todo país. A Petrobras estima que irá gerar com suas atividades produtivas por volta de 450 mil postos de trabalho no país.

Plano Estratégico

No novo plano, a Petrobras reforça sua visão como empresa integrada de energia, que evolui com a sociedade, gera alto valor e tem capacidade técnica única. Reafirma, ainda, seus valores: respeito à vida, às pessoas e ao meio ambiente; ética e transparência; superação e confiança; orientação ao mercado e resultados. Também estabelece como seu propósito prover a energia que move a sociedade a realizar o seu potencial.

O planejamento define ainda dez estratégias de longo prazo.

Como a Petrobras define seu planejamento

A companhia monitora as demandas e as formas de consumo de energia pela sociedade no Brasil e no mundo e, a partir desse trabalho, são traçados diferentes cenários de como ocorrerá esse comportamento até 2040.  Para elaborar o Plano Estratégico 2040, foram traçadas três visões distintas para o futuro da energia – correnteza, cardume e coral. O que diferencia os três cenários é a velocidade em que acontecerá a transição energética.

Mesmo em cenários diversos, a companhia entende que haverá crescimento na demanda por energia, maiores restrições ambientais, mudança no comportamento dos consumidores, transformações nos transportes, alta demanda por renováveis, o gás natural com maior taxa de crescimento entre as energias fósseis e maior integração do refino com a petroquímica. As variáveis presentes em todos os cenários influenciaram diretamente nas escolhas da companhia para o futuro.

Fonte: Portos e Navios
06/12/2018|Seção: Notícias da Semana|Tags: , |