Monthly Archives: dezembro 2019

O papel da Indústria Naval na economia e na geração de empregos


O baixo crescimento de nossa economia, somado ao grande número de desempregados no Brasil, tem sido fruto de uma política estrategicamente equivocada da percepção do papel da indústria de transformação no desenvolvimento do País.

É voz corrente na área econômica desse governo e também em sua empresa pública, a Petrobras, que a Indústria Naval brasileira não é competitiva e que a política de Conteúdo Local é um retrocesso enorme, chegando-se, inclusive, a propor políticas que vão na contramão do que acontece no mundo, tais como a abertura geral para importação de navios de cabotagem, o fim do Fundo da Marinha Mercante criado em 1959, um Conteúdo Local zero e, até mesmo, a sugerir que a Indústria Naval sobreviva somente de reparos em embarcações.

Há um grande equívoco nisso tudo, pois a política de Conteúdo Local, somada à demanda perene durante os anos de 2004 a 2014, fez com que nossa indústria crescesse 19,5% ao ano, segundo dados do IPEA.

Esse crescimento resultou na construção de aproximadamente 600 embarcações nesse período, gerando cerca de 80 mil empregos diretos e cerca de 400 mil indiretos, além da qualificação da mão de obra da cadeia produtiva de óleo e gás e do desenvolvimento econômico dos municípios onde os estaleiros se instalaram. O Fundo da Marinha Mercante, ao longo dos seus 60 anos, ajudou muito o desenvolvimento do Brasil. Quem conhece um pouco da história da Indústria Naval sabe que hoje, sem esses recursos, o País e a Petrobras seriam dependentes de navios estrangeiros em 100% no escoamento de nossa produção. Não reconhecer o papel importante desse Fundo e querer extingui-lo é, no mínimo, má fé.

O presidente da Petrobras, recentemente, disse que a Indústria Naval vive pedindo favores ao governo. Não, senhor presidente, não queremos favores. Queremos uma política de Estado, onde tenhamos condições econômicas, financeiras e trabalhistas para sermos competitivos como quer a área econômica. Com isso, tenha a certeza de que a Indústria Naval brasileira, bem como os trabalhadores que nela labutam, serão tão ou mais competitivos que em qualquer país do mundo, porque já provamos que sabemos construir navios e ajudar nosso País como poucos.

E, para finalizar, falar que a Indústria Naval deveria se especializar em reparos navais é, no mínimo, desconhecer essa indústria, pois, com a frota existente no Brasil, não precisamos de mais que dois estaleiros para atender a essa demanda, tendo em vista que a maioria dos barcos de apoio hoje em operação no Brasil são produzidos e operados por empresas que verticalizaram sua atividade.

Não queremos obrigar ninguém a comprar no Brasil, mas, para sermos competitivos e produtivos e disputarmos mercado, precisamos de demanda perene. E a Petrobras tem um papel fundamental nisso, pois se nem a nossa empresa brasileira acredita na nossa indústria, como vamos fazer com que empresas estrangeiras acreditem? Precisamos, também, de linhas de crédito competitivas para que possamos fazer frente aos estaleiros asiáticos.

Faz quase um ano que aguardamos uma política de Estado para este segmento de ponta, desde que este governo tomou posse, e, até agora, não vimos nada para desenvolver esta indústria. Ao contrário, o que fazem é atacá-la. Mas seguiremos resistindo, como fazemos desde 1846, quando o governo ajudou a construir o primeiro estaleiro do Brasil.

Ariovaldo Rocha
Presidente do SINAVAL

13/12/2019|Seção: Destaque Superior 300px, SINAVAL Informa||

Mais sete FPSOs para Búzios

O desenvolvimento da produção de Búzios, no cluster de Santos, demandará a contratação de sete novos FPSOs. As unidades terão capacidade para produzir pelo menos 180 mil bpd – 30 mil bpd a mais que as plataformas contratadas para o projeto até o momento.

12/12/2019|Seção: Notícias da Semana|Tags:, |

SBM Offshore assina contratos com ‘FPSO Sepetiba’

A SBM Offshore assinou contratos de arrendamento e operação do "FPSO Sepetiba" com a Petrobras pelos próximos 22,5 anos. Anteriormente, a plataforma era conhecida como "Mero 2". As empresas haviam assinado carta de intenção, conforme anunciado em 11 de junho.

12/12/2019|Seção: Notícias da Semana|Tags:, |

Arbitragem Marítima

Evento promovido pela EMERJ – Escola de Magistratura do Estado do Rio de Janeiro

12/12/2019|Seção: Destaque Superior 300px, SINAVAL Informa||

Apoio portuário e navegação interior são destaques entre novas prioridades do FMM

Projetos de apoio portuário e de navegação foram os destaques entre as novas prioridades concedidas pelo Conselho Diretor do Fundo da Marinha Mercante (CDFMM) durante a 42ª reunião ordinária, realizada no último dia 4, em Brasília. Na ocasião, a Sulnorte obteve prioridade para construção de 10 rebocadores portuários de 75 toneladas de tração estática (TTE), no Estaleiro Rio Maguari (PA), com valor total de R$ 321 milhões. A Starnav recebeu a prioridade para construção de quatro rebocadores azimutais de 80 TTE, no estaleiro Detroit (SC), com valor total de R$ 151 milhões. A Internacional Marítima conseguiu prioridade para construção de um dique flutuante, três empurradores 4000 BHP, no Estaleiro INC - Indústria Naval Catarinense, com valor total de R$ 103,2 milhões. Somente essas aprovações totalizam R$ 575 milhões, mais da metade dos R$ 1,1 bilhão aprovados nessa reunião para novos projetos.

12/12/2019|Seção: Destaque Superior 300px, Notícias da Semana|Tags:, , |

Novos FPSOs para Santos e Sergipe-Alagoas

A Petrobras lançará no primeiro semestre de 2020 licitações para contratar os FPSOs para os projetos Búzios 6 e Sergipe-Alagoas águas profundas, ambos programados para entrar em operação em 2024.

12/12/2019|Seção: Notícias da Semana|Tags:, |

Senadora volta a defender extinção do FMM

A senadora Kátia Abreu (PDT-TO) voltou a defender o fim do Fundo da Marinha Mercante (FMM). A senadora alegou que esse fundo setorial representa um custo excessivo para o país. De acordo com a parlamentar, o FMM representa um privilégio para um único setor. O assunto, que teve opiniões divergentes por parte da indústria naval, foi alvo de debates durante o seminário “A Cabotagem brasileira para o usuário”, realizado nesta segunda-feira (9), no Rio de Janeiro.

12/12/2019|Seção: Notícias da Semana|Tags:, |

Visita técnica no estaleiro Brasfels pode definir retomada de obras das sondas Urca e Frade

A Etesco operadora das sondas Urca e Frade, enviou ao estaleiro Brasfels de Angra dos Reis, técnicos da Golar para realizar inspeção nas semissubmersíveis.

11/12/2019|Seção: Notícias da Semana|Tags:, , |

Plataforma P-70 vai operar no pré-sal da Bacia de Santos até o 1T20, diz Petrobras

A plataforma P-70 desatracou do cais do estaleiro em Qingdao, China, para seguir viagem rumo ao Brasil e chegará ao campo de Atapu no primeiro trimestre de 2020. O início da operação ocorrerá após os trabalhos de ancoragem e de interligação do primeiro poço produtor.

11/12/2019|Seção: Notícias da Semana|Tags:, , |

Cidade do Rio de Janeiro no estaleiro

O FPSO Cidade do Rio de Janeiro já está atracado no Estaleiro Jurong Aracruz, no Espírito Santo, onde será submetido a operações de reparo antes de deixar o Brasil. A unidade de produção da Modec deixou o campo de Espadarte, na Bacia de Campos, na semana passada – mais de três meses após a detecção de trincas no casco da embarcação que ocasionaram vazamento de óleo residual.

11/12/2019|Seção: Notícias da Semana|Tags:, , |