SINAVAL é a instituição que representa
os estaleiros brasileiros instalados
em diversas regiões do país.

SINAVAL Informa

Reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Presidência da República (“Conselhão”)

Com a presença do Presidente Michel Temer, realizou-se em Brasília, no Palácio do Planalto, em 7 de março, uma nova reunião do CDES. No mesmo dia, após o almoço, foram retomadas as reuniões dos grupos temáticos para exame de temas específicos. Como já noticiado, a Indústria Naval e Offshore brasileira está incluída em diversos desses grupos, para análise da situação atual e proposição de soluções para sua recuperação. Na foto tirada pelo Vice-Presidente Executivo do SINAVAL, Carlos Eduardo Macedo, o Presidente do SINAVAL Ariovaldo Rocha cumprimenta o Presidente Temer.

SINAVAL Informa

Reunião e almoço do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Presidência da República (“Conselhão”)

Com a presença do Presidente Michel Temer, realizou-se em Brasília na ENAP – Escola Nacional de Administração Pública, em 14 de fevereiro, a reunião do CDES, seguida de almoço. No mesmo dia, após o almoço, foram realizadas as primeiras reuniões dos grupos temáticos para análise de temas específicos, com prosseguimento neste dia 15. A Indústria Naval e Offshore brasileira está incluída em diversos desses grupos, para análise da situação atual e proposição de soluções para sua recuperação.
Na foto, o Presidente Temer cumprimenta o Presidente e o Vice-Presidente Executivo do SINAVAL, Ariovaldo Rocha e Carlos Eduardo Macedo, por ocasião do almoço. Foto: Marcos Corrêa/PR

SINAVAL Informa

Indústria Naval é discutida no “Conselhão”

O presidente do SINAVAL, Ariovaldo Rocha, participou nesse dia 14 de fevereiro, como Conselheiro do Conselho de Desenvolvimento Social da Presidência da República (“Conselhão”), de reunião do Grupo de Trabalho do tema Ambiente de Negócios, do qual consta como objeto de estudos e análise, a situação da Indústria Naval Brasileira.

A Petrobras é o melhor exemplo do conteúdo local brasileiro

A exigência de conteúdo local não pode ser responsabilizada pela alegação falaciosa que o preço do FPSO é 40% mais caro. As mudanças na política de conteúdo local brasileira vem sendo alvo de acirrada disputa, polarizando posicionamentos divergentes entre o setor de produção de petróleo e gás e a indústria fornecedora de bens e serviços dessa cadeia, entre elas a indústria da construção naval e offshore.

SINAVAL Informa

Nota do SINAVAL

O SINAVAL entende que, ao não consultar empresas brasileiras na licitação do FPSO para o campo de Libra, a Petrobras descumpre a legislação de conteúdo local vigente. Em função disto o SINAVAL buscou os seus direitos – dentro de um estado democrático de direito – junto à Justiça brasileira, que entendeu liminarmente as razões do Sindicato e suspendeu a licitação do FPSO do campo de Libra até que a ANP profira decisão sobre o waiver solicitado pela Petrobras. O SINAVAL, portanto, aguarda com serenidade a decisão final da Justiça sobre o assunto e repudia qualquer manifestação que pretenda imputar ao Sindicato prejuízos a quem quer que seja. Mesmo porque, os maiores prejudicados nas decisões tomadas pela Petrobras até agora foram os estaleiros e seus trabalhadores, que engrossam a lista de desempregados no País.

SINAVAL rebate Petrobras e diz que estaleiros brasileiros não foram consultados para FPSO de Libra

A batalha do presidente da Petrobras, Pedro Parente, contra o conteúdo local levou a empresa a fazer uma nova investida na justiça contra a indústria nacional, em relação à licitação do FPSO de Libra, alegando que a estatal e o governo estariam tendo um prejuízo de US$ 5 milhões por cada dia de atraso da concorrência, embargada por uma liminar obtida pelo Sinaval. Desse montante, US$ 1,3 milhão seriam da companhia e US$ 3,7 milhões de participações governamentais. A intenção do executivo é seguir adiante com a licitação sem exigência fixa de conteúdo local, já que a estatal tenta junto à ANP um perdão ao descumprimento das exigências do contrato, alegando que os preços para a construção do navio-plataforma no Brasil seriam 40% maiores do que no exterior. O problema é que a Petrobras não esclareceu ao mercado nacional a origem dessa comparação e o Sinaval agora contesta o embasamento para essas afirmações.

Notícias da Semana

Novo AHTS lançado em Itajaí

Dando continuidade a um plano de crescimento, o Grupo CBO lançou no último sábado (28) a primeira embarcação do tipo AHTS 18.000 produzido no Oceana Estaleiro, em Itajaí - SC. Trata-se da primeira de uma série de seis embarcações deste modelo que estão sendo construídas no estaleiro.

Últimas Notícias

Clark Solutions apresentará tecnologias na OTC 2017 e reage contra mudanças no Conteúdo Local

A OTC Houston 2017 será um dos pontos altos do ano para muitas empresas. É o caso da Clark Solutions, que vai expor suas soluções e tecnologias na feira, entre os dias 1º e 4 de maio, no estado americano do Texas. O diretor da companhia, Nelson Clark, ainda está um pouco receoso em relação ao mercado de óleo e gás, especialmente com os menores investimentos da Petrobras e também com as recentes mudanças na política de conteúdo local.

Petrobras nega que tenha estipulado preço mínimo por sondas

Diante das críticas dos sindicatos dos petroleiros de que estaria vendendo sondas muito abaixo dos preços adquiridos, a Petrobras divulgou nota em que explica que colocou à venda “sete sondas de perfuração, devido ao movimento de redução de custos que a companhia tem perseguido, em alinhamento ao seu Plano Estratégico/PNG 2017-21”.

Quatro na disputa pelo FPSO de Sépia

A SBM, Modec, BW e o consórcio Exmar/Queiroz Galvão Naval estão disputando o contrato de afretamento do FPSO de Sépia, unidade prevista para entrar em operação na área da cessão onerosa em 2020.

Petrobras investirá US$ 19,8 bi em 2017

A Petrobras investirá US$ 19,8 bilhões em 2017. O valor representa um aumento de 17% em relação aos US$ 16,9 bilhões (R$ 55 bilhões) investidos em 2016, e está em linha com os US$ 19,5 bilhões (R$ 76 bilhões) de 2015.

Oceânica volta à OTC e investe na imagem da empresa no mercado internacional

A Oceânica, que há dez anos participa da OTC em Houston, já tem garantida novamente sua presença na maior feira de petróleo do mundo, que acontece entre os dia 1º e 4 de maio. Ela voltará ao Pavilhão Brasil e este ano o grupo também levará a HBR, braço de equipamentos do grupo, que participa pela segunda vez.

Estatal quer ir ao STJ para suspender contrato de sonda do pré-sal

A Petrobras pretende recorrer ao Superior Tribunal de justiça (STJ) contra a decisão da 20ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de janeiro (TJRJ), que confirmou decisão na primeira instância e manteve em vigor um contrato de afretamento de sonda entre a estatal e a Diamond Offshore.

Petrobras lança leilão internacional para vender sondas

A Petrobras lançou um leilão público internacional para a venda de sete sondas de perfuração. As unidades serão leiloada em uma audiência pública que será realizada no dia 10 de maio e as empresas interessadas têm até um dia antes para se habilitar e apresentar propostas na concorrência.