SINAVAL é a instituição que representa
os estaleiros brasileiros instalados
em diversas regiões do país.

SINAVAL Informa

Encontro com a ANP no SINAVAL

O SINAVAL recebeu em sua sede no dia 11 de agosto o Diretor-Geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis-ANP, Dr. Décio Oddone, acompanhado da Coordenadora de Conteúdo Local, Dra. Daniela Corrêa, do Procurador-Geral da Agência, Dr. Evandro Caldas, e do Assessor da Diretoria Dr. André Regra. O Presidente do SINAVAL, Dr. Ariovaldo Rocha, fez as honras da casa, em companhia dos Diretores do SINAVAL Drs. Agostinho Serafim Junior, Fernando Barbosa e Alceu Souza e de Diretores de empresas associadas à Entidade de Classe, além da equipe de trabalho do SINAVAL e assessores. No encontro, que transcorreu em clima de cordialidade e gentileza por parte de ambas as instituições, foram debatidos assuntos de interesse comum à Indústria Naval e Offshore brasileira e à ANP. Nas fotos, dois momentos do encontro, com os cumprimentos do Presidente Rocha ao Dr. Décio Oddoni e uma vista geral dos participantes do evento. Na página interna, outras fotos do encontro.

Artigos

Por que indústria naval deve ser forte

Foi na Ponta da Areia, em Niterói, que Irineu Evangelista de Sousa, o Barão de Mauá, fundou o primeiro estaleiro do Brasil, no Império. No século XX, o regime militar deu grande impulso ao setor, e o Brasil se tornou, nos anos 70, o segundo produtor de navios do mundo. No mesmo período, começamos o desenvolvimento tecnológico para a construção de plataformas de exploração de petróleo. Esse desafio nos tornou líderes e recordistas mundiais na exploração de petróleo em águas profundas, atingindo o recorde de sete mil metros de lâmina d’água, na Bacia do Pré-Sal. Só isso já seria suficiente para incentivar nossa indústria naval, imprescindível para a indústria do petróleo.

SINAVAL Informa

Reunião da Diretoria do SINAVAL

Realizou-se no dia 27 de julho último uma nova reunião da Diretoria do SINAVAL, na sede da Entidade de Classe, no Rio de Janeiro. No encontro, que contou com a participação de representantes de estaleiros associados ao SINAVAL, foram debatidos assuntos dos mais relevantes para a Indústria Naval e Offshore brasileira e examinados temas referentes à conjuntura atual dessa indústria. Nas fotos, a mesa diretora dos trabalhos, coordenada pelo Presidente Ariovaldo Rocha, e duas vistas gerais dos participantes da reunião.

SINAVAL Informa

Reunião na Emgepron

No dia 26 de julho foi realizada uma reunião entre representantes da Marinha do Brasil e do SINAVAL, na sede da Emgepron – Empresa Gerencial de Projetos Navais, na Ilha das Cobras, Rio de Janeiro. Na ocasião, foram apresentadas pela Marinha ao SINAVAL as demandas de navios para o reaparelhamento e modernização da Armada, que necessita de novos meios flutuantes para a importante missão de defesa da costa brasileira e que poderão ser construídos em estaleiros nacionais. Na foto, da esquerda para a direita, o Contra-Almirante Wagner Corrêa dos Santos, Diretor Administrativo-Financeiro da Emgepron; o Sr. Jorge Faria, Assessor da Presidência do SINAVAL; o Vice-Almirante Francisco Antonio Laranjeira, Diretor-Presidente da Emgepron; os Srs. Sandro Corrêa, Jorge Ferraz e Guilherme Coelho, representantes do SINAVAL; e o Sr. Sergio Bacci, Vice-Presidente Executivo do SINAVAL.

Notícias da Semana

P-76 ruma em março para o campo de Búzios

O Consórcio Technip-Techint programa a saída do FPSO P-76 de seu cais em Pontal do Paraná (PR) para março do ano que vem. O plano é iniciar em agosto a integração e o comissionamento dos módulos de grande porte no casco da unidade, que foi contratada pela Petrobras para produzir no campo de Búzios, na área da cessão onerosa, no pré-sal da Bacia de Santos. 

Notícias da Semana

Grupo CBO lança segundo navio da série de seis AHTS

A CBO lançou, no último sábado (8), a segunda unidade de uma série de seis AHTS 18.000 (embarcações para manuseio de âncoras) em construção no estaleiro do grupo, em Itajaí (SC). O CBO Iguaçu começou a ser construído em 2016 e está contratado pela Petrobras para operar na costa brasileira. A previsão é que a embarcação seja entregue pelo estaleiro Oceana no quarto trimestre de 2017. 

Artigos

Sem fôlego para crescer

A retomada das rodadas de licitação de áreas exploratórias no Brasil é celebrada como uma boa notícia para a cadeia produtiva de bens e serviços de óleo e gás. A indústria brasileira, porém, não tem o que comemorar. Em meio à mais grave crise econômica enfrentada pelo país, nossas empresas saem ainda mais enfraquecidas pela mudança nas regras de conteúdo nacional e pela falta de perspectiva de contratação de novos projetos pela Petrobras, que optou por fazer suas compras de plataformas e sondas no exterior, medida que compromete o emprego de milhões de trabalhadores brasileiros.

SINAVAL promove workshop com jornalistas e entidades no Rio de Janeiro sobre o conteúdo local

Em encontro no Rio de Janeiro promovido pelo SINAVAL na manhã de ontem, dia 16 de maio, o SINAVAL apresentou à imprensa seu posicionamento em relação à política de conteúdo local, tema de grande repercussão no momento. Estavam presentes diversos jornalistas de jornais e sites informativos de expressão nacional, reunidos no Rio de Janeiro a convite do SINAVAL. O Presidente Ariovaldo Rocha fez-se acompanhar de Presidentes e Diretores de cinco outras entidades empresariais com envolvimento direto no assunto, convidadas especialmente para esse evento: ABCE (Rodrigo Sigaud), ABEMI (Nelson Romano), SOBENA (Rodrigo Portela), ABIMAQ (José Velloso) e Instituto AÇO BRASIL (Hildeu Delaretti), vistos pela ordem na foto a seguir, à mesa com o Presidente Rocha. A iniciativa representa o ponto de partida para um diálogo permanente do SINAVAL com a imprensa, com o objetivo de trazer ao conhecimento público as posições da instituição sobre temas de interesse nacional, como o debatido nesse encontro. (Fotos Paulo Botelho)

O inapropriado pedido de waiver da Petrobras

Queremos desenvolver a nossa indústria, gerar empregos, renda e tributos para o Brasil. É essa a posição que queremos discutir com a sociedade brasileira.
Por Ariovaldo Rocha

Indústria naval corre risco, alertam participantes de audiência na CDH

É grave a crise que atinge a indústria naval, disse a diretora do Departamento das Indústrias de Mobilidade e Logística da Secretaria de Desenvolvimento e Competitividade Industrial do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Margarete Gandini, em audiência pública sobre o tema na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), nesta segunda-feira (15). Ela alertou que muitos estaleiros do país estão paralisados e poderão ser levados ao sucateamento estrutural e à extinção.

SINAVAL recorre novamente à Justiça para garantir o interesse público que envolve o cumprimento do conteúdo local para Libra e Sépia

O Presidente do SINAVAL, Ariovaldo Rocha, informa que o Sindicato, em nome dos estaleiros, recorreu, na última semana, contra a decisão que autorizou o prosseguimento do processo licitatório para o Campo de Libra e recorrerá, nos próximos dias, contra a decisão de 1ª Instância que indeferiu o pedido de tutela de urgência para a suspensão do certame licitatório para o Campo de Sépia.

Últimas Notícias

Manutenção de plataformas sem referência de mercado

A redução drástica do número de novos negócios na indústria do petróleo vem fazendo com que as empresas de bens e serviços fiquem sem referência na hora de apresentar suas propostas comerciais. Na licitação da Petrobras para contratação de serviço de manutenção para 12 plataformas da UO-Rio, a diferença de preço entre o primeiro e último colocados em um dos lotes foi de 116% ou nada menos que R$ 364.294.696,58.

Financiamento mais caro para a indústria de construção naval e offshore

A Medida Provisória (MP) 777, que muda o cálculo da taxa de juros para contratos do BNDES, aumentará, se aprovada, o custo dos financiamentos do Fundo da Marinha Mercante (FMM), assinalou, nesta terça-feira (15/8), a diretora do Departamento de Marinha Mercante do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Laira Vanessa Lage Gonçalves.

Transocean apresenta oferta de us$ 3,4 bilhões para comprar Songa Offshore

Uma nova fusão está perto de se concretizar no tabuleiro do mercado global de óleo e gás. A Transocean apresentou uma oferta pública de aquisição da Songa Offshore por um valor de US$ 3,4 bilhões. Um dos objetivos da união de forças, segundo as companhias, é estabelecer um Centro de Excelência na Noruega focado em ambientes difíceis. A unidade vai atender o Mar do Norte e outros mercados externos de ambiente agressivo.

Prorrogação do Repetro deve incluir benefício a setor de máquinas

A medida provisória (MP) que vai prorrogar o Repetro, regime aduaneiro especial que facilita a importação de bens destinados à exploração de petróleo, deve incluir benefícios à indústria de máquinas nacional. A extensão do benefício foi a forma que o governo encontrou para conter a pressão do setor de máquinas, que cobra tratamento similar ao que é dado à indústria do petróleo.

Uma pedrada pelo Conteúdo Local

No dia 02 de Agosto de 2017, o jornal Valor Econômico veiculou uma entrevista com o diretor geral da Agência Nacional do Petróleo (ANP), Décio Oddone, que ao final da leitura, atônito com seu conteúdo, senti-me no dever de tecer algumas críticas, principalmente no que tange o Conteúdo Local, cujo debate ainda está em andamento.

Autoridades reúnem-se para discutir o futuro da indústria naval

Nesta semana, de 15 a 17 de agosto, ocorre o mais importante evento dedicado à indústria naval e offshore sul-americana, a Marintec South America. Realizada no Centro de Convenções SulAmérica, no Rio de Janeiro (RJ), e consolidada como o principal ponto de encontro do setor, a feira recebe diversas autoridades e especialistas em sua 14ª edição, que têm como objetivo discutir o futuro da indústria naval no país.

Petrobras deve optar por novo conteúdo local

A Petrobras deve optar pela migração do regime de conteúdo local dos contratos de áreas arrematadas pela companhia a partir da sétima rodada licitações de blocos exploratórios para o formato proposto pela ANP, conforme minuta de resolução colocada em consulta pública no mês passado.  A previsão é da diretora de E&P da companhia, Solange Guedes.

Apenas um sistema definitivo de produção em 2017

A Petrobras encerrará 2017 com apenas um novo sistema definitivo de produção tendo iniciado operação. Durante coletiva de imprensa sobre o resultado financeiro da companhia no segundo trimestre, nesta quinta-feira (10/8), a diretora de E&P da estatal, Solange Guedes, informou que os FPSOs P-67 e Campos dos Goytacazes iniciarão suas atividades somente no ano que vem.

Petrobras já escolheu as empresas que vão fazer a manutenção de suas plataformas no lugar da UTC

A Petrobras agiu rápido e já escolheu as empresas que vão substituir a UTC no trabalho de manutenção de plataformas da Bacia de Campos. Saíram vencedoras as empresas G&E, a Actmium, do Grupo VINCI Energies e a CSE, que teve 70 % da empresa comprada pela Aker Solutions. O que estava somente com a UTC, foi dividido em quatro Lotes. Mas tem ficado em primeiro lugar, não significa ter vencido a licitação, porque a partir de agora, como de praxe, serão abertas negociações em busca de descontos.