Monthly Archives: maio 2022

Nota

O SINAVAL registra, com satisfação, o 56º  aniversário da FEMAR (Fundação de Estudos do Mar), transcorrido neste 31 de maio.
Fundada em 1966 por um conjunto de Associações e Sindicatos, dentre os quais o SINAVAL, a FEMAR atua na formação, especialização e aperfeiçoamento de pessoas que exercem atividades pertinentes ao mar e desenvolve cursos e programas de interesse da Marinha do Brasil relacionados a pesquisa e extensão.
Desde 2011 é credenciada pelo MEC como Fundação de Apoio ao Núcleo de Inovação Tecnológica da Marinha. 
Nossos cumprimentos à Administração da FEMAR pela data.

31/05/2022|Seção: Informações do Setor|Tags:, |

BR do Mar: Armadores dizem que demandas da cabotagem não sustentariam indústria naval

Para Sinaval, indústria já provou qualidade técnica, mas estaleiros brasileiros enfrentam dificuldades devido à falta de incentivos e à alta carga de impostos paga no Brasil. Leia mais

30/05/2022|Seção: Notícias da Semana|Tags:, , |

O SINAVAL aos 67 anos

Neste dia 25 de maio, fazemos uma ligeira pausa em nossas rotinas para refletirmos sobre o papel institucional do SINAVAL, que surgiu em 1955 como o Sindicato que veio a suceder uma Associação Profissional criada no Estado do Rio de Janeiro para defender as ideias empresariais de um pequeno número de pioneiros da Indústria Naval.
E o SINAVAL cresceu muito desde então, tendo participação relevante nos anos seguintes, principalmente nos tempos do Presidente Juscelino Kubitschek, um grande incentivador da indústria brasileira, idealizador das indústrias naval, automobilística e de produção de aço, além de criador do principal mecanismo de fomento de nosso segmento industrial, o FMM – Fundo da Marinha Mercante.
Hoje, quase sete décadas depois desses tempos inesquecíveis, lembramos do notável progresso experimentado pelos estaleiros brasileiros, que evoluíram com o SINAVAL e atingiram condições equiparadas às mais avançadas existentes em outros países que têm muito maior tradição nessa atividade industrial, como os europeus, e em pé de igualdade com os atuais expoentes asiáticos em termos de qualidade de seus produtos e excelência de seus trabalhadores.
Desde 1971, o SINAVAL detém a primazia da representação, em nível nacional, dos estaleiros brasileiros de todos os portes, que têm capacidade de produção de embarcações de todos os tipos e tamanhos, desde os pequenos barcos de lazer até enormes navios petroleiros e grandes plataformas de produção de petróleo no mar; desde avançados navios mercantes e de apoio às atividades da indústria de petróleo e gás natural até modernos rebocadores marítimos e portuários, além de comboios de barcaças e empurradores para o escoamento do agronegócio brasileiro em nossas hidrovias. E o Brasil tem hoje, também, uma grande experiência na reparação naval.
O SINAVAL desempenha sua missão em benefício da economia do Brasil com justificado orgulho e exalta o valor e a capacidade técnica das empresas do segmento industrial que representa e dos trabalhadores desta indústria. Os estaleiros navais e seus colaboradores sempre tiveram um grande papel nos resultados alcançados pela indústria brasileira, embora não venham recebendo nos últimos anos o reconhecimento que lhes é devido. Confiamos, entretanto, que em um futuro breve a fase negativa atual chegará ao fim e retomaremos a posição de relevo que conquistamos na Indústria Naval mundial, ao longo de muitos anos de lutas, sacrifícios e vitórias.
 
Longa vida à Indústria Naval Brasileira!
Ariovaldo Rocha
Presidente do SINAVAL

25/05/2022|Seção: Notas para a Imprensa|Tags:, |

Estaleiros veem risco à competitividade em norma sobre recursos de contas vinculadas

Sinaval diz que resolução abre brecha para que empresas que utilizam beira de cais disputem obras com instalações que pagam impostos. CSENO defende obrigatoriedade de obtenção de equipamentos com fornecedores nacionais ou estrangeiros, desde com sede e investimentos no Brasil. Leia mais

24/05/2022|Seção: Notícias da Semana|Tags:, , |

Projetos de eólicas offshore entram no radar de estaleiros

Percepção é que mercado deve se aquecer em menos de 5 anos e diversificar portfólio dos principais players da construção naval. Setor aguarda definições sobre regras e defende política que aumente competitividade para construção de embarcações de suporte a esse segmento. Leia mais

24/05/2022|Seção: Notícias da Semana|Tags:, , , , |

Contexto do Descomissionamento na Europa hoje

A guerra na Ucrânia está influindo nas atividades de descomissionamento de plataformas de petróleo e gás. Que efeito isso está tendo no descomissionamento planejado? Perguntou a Associação de Portos Offshore de Amsterdã (AYOP) a participantes do mercado. Leia mais

24/05/2022|Seção: Artigos|Tags:, |

Para o CEO da SPE Águas Azuis, Santa Catarina pode ter papel estratégico na defesa naval do País

Santa Catarina abriga um dos maiores projetos da área de defesa em andamento no País. E os participantes da SC Expo Defense, que ocorre em Florianópolis nos dias 19 e 20 de maio, poderão conhecer um pouco mais do Programa Fragatas Classe Tamandaré, no espaço da Águas Azuis, Sociedade de Propósito Específico estabelecida entre a thyssenkrupp Marine Systems, a Embraer Defesa & Segurança e a Atech, subsidiária da Embraer, para a construção dos quatro novos navios que vão ampliar e modernizar a esquadra da Marinha do Brasil. Leia mais

Marinha do Brasil divulga vídeo institucional sobre a Amazônia Azul

A Amazônia Azul®️ é a região que compreende a superfície do mar, águas sobrejacentes ao leito do mar, solo e subsolo marinhos contidos na extensão atlântica que se projeta a partir do litoral até o limite exterior da Plataforma Continental brasileira. Leia mais

17/05/2022|Seção: Notícias da Semana|Tags:, |

Desmantelamento precisará de estaleiros e gestores de rejeitos especializados, diz especialista

Durante workshop da Sobena, engenheiro Ivson Soares, da ABS, alertou para importância de mapeamento de materiais perigosos a bordo e adoção de medidas preventivas para embarcações a partir de 15 anos. Leia mais

16/05/2022|Seção: Notícias da Semana|Tags:, , |

IMO 2023 – O que vem por aí?

No fim de 2019 o assunto em pauta era a entrada em vigor do IMO 2020, que consistia basicamente na obrigatoriedade de os navios abandonarem a queima direta do combustível IFO 380 (Intermediate Fuel Oil), com emissão de 3,5% de enxofre, por um óleo mais leve chamado VLSFO (Very Low Sulphur Fuel Oil) que deveria emitir até 0,5% de enxofre a partir de 1º de janeiro de 2020. Alternativamente poder-se-ia instalar equipamentos para “limpar” as emissões — os chamados “scrubbers”. Leia mais

12/05/2022|Seção: Artigos, Notícias da Semana|Tags:, , |